Matemática do Século XXI

Existem duas maneiras de fazer os alunos aprenderem matemática:

1)  Mostrar métodos para que eles repitam. Essa é a abordagem usada na maioria das escolas, mas costuma apresentar falta de significado, e é compreensível que os alunos se perguntem: quando vamos usar isso? Além disso, os alunos só usam o que lhes é apresentado, ou seja, eles não escolhem um método sozinhos, um dos mais importantes atos matemáticos.

2)  Envolver os alunos em tarefas enriquecedoras, abertas, visuais e criativas. Eles usam sua intuição e raciocínio, e escolhem métodos que poderão ser úteis em uma tarefa. Quando precisam aprender novos assuntos, os professores os ensinam dentro da atividade. Os alunos veem imediatamente por que eles são importantes e os aprendem mais a fundo. Eles participam dos importantes atos de escolher e fazer conexões entre as ideias.

O segundo método é muito mais eficaz, entretanto, os professores nos dizem que eles não têm tempo para usarem tarefas abertas e enriquecedoras que levem os alunos em direções diferentes. Eles veem as listas dos métodos apresentados em currículos padrões e nas apostilas e decidem que têm tempo apenas para mostrá-los brevemente aos alunos e seguir em frente. Isso acontece porque os padrões dos nossos currículos estão abarrotados com conteúdo desatualizado que os alunos nunca precisarão ou usarão.

A matemática do século XXI exige uma abordagem diferente. Este site é dedicado a ouvir novas ideias de ensino de matemáticos profissionais.

Assista ao TED “Aproprie-se dos dados do seu corpo”, de Talithia Williams.

Um episódio de Freakonomics sobre alfabetização de dados com Jo Boaler (em inglês).

Mensagens inspiradoras de uma matemática para alunos jovens.

Conversa entre Jo Boaler e o matemático Keith Devlin sobre Matemática do Século 21 e aprendizado.